A PARÓQUIA

 

A  Paróquia Imaculada Conceição, foi criada em 24 de Dezembro de 1875. Seus limites territoriais abrangiam desde os municípios de Canoinhas, Lebon Regis, Santa Cecília até Ponte Alta do Norte.

Encontramos registros de batismo inclusive do município de Timbó Grande. Seu primeiro pároco foi Padre Braz Grassano. A Paróquia ainda ajudou para que aqui se instalassem o Colégio Santa Terezinha, e o antigo Hospital Frei Rogério, atual asilo.

Quando os Franciscanos chegaram em Curitibanos, em 1894, atendiam a Paróquia, residindo em Lages. Passaram a residir em Curitibanos a partir de 24 de julho de 1900, encontraram a Igreja Matriz em condições precárias. Em 1907 Frei Rogério acrescentou uma pequena torre à Igreja Matriz. Em 1908 foram comprados os bancos. Em 1910 foi iniciada a construção da segunda Matriz que foi inaugurada no ano de 1915. Como esta também ficou pequena, a construção da atual Matriz foi iniciada em 1953, e aberta ao povo em 1962. Atualmente a Paróquia conta com quatro frades franciscanos, e com 37.748 habitantes segundo estimativa do IBGE.

PASTORAIS

Pastorais Sociais

Trabalho das Pastorais e ações sociais desenvolvidas na Paróquia Imaculada Conceição de Curitibanos

 

Uma rápida apresentação das nossas atividades paroquiais concernentes às ações das pastorais sociais.

 

A Paróquia Imaculada Conceição, mediante o trabalho das pastorais e ações sociais, muito tem feito em prol dos menos favorecidos do seu território pastoral. A Pastoral da Criança, incansavelmente, acompanha um grande numero de crianças das famílias mais necessitadas da periferia da nossa cidade. As mesmas crianças, mensalmente, são pesadas e acompanhadas sistematicamente. No Natal, na Páscoa e no dia das crianças elas são acolhidas para um momento de brincadeiras, entrega de presentes, doces, etc. A Pastoral da criança também distribui para as mães grávidas (assistidas) um enxoval para o futuro bebê.

Em parceria com a Caritas Paroquial, a Pastoral da Criança tem providenciado cestas básicas para um número bastante significativo de famílias. A população Curitibanense é sempre pronta a contribuir com alimentos, brinquedos, doces, etc. Então, isso facilita as nossas ações solidárias para com as crianças e suas famílias carentes.

A Caritas Paroquial também oferece para a comunidade local diversos tipos de atividades artesanais (pinturas em tecido, decoupage, etc). Os participantes, na sua maioria são mulheres e crianças.

A Pastoral Carcerária em parceria com a Paróquia de São Cristóvão, mensalmente, realiza visitas às duas unidades prisionais de São Cristóvão. No Natal e na Páscoa, além de oferecermos a cada um dos presos "um pequeno presente", também damos a eles a oportunidade de receberem os Sacramentos da Penitência e da Eucaristia.

A Pastoral da pessoa idosa se reúne uma vez por mês para preencher o FADOP e encaminhá-lo para a coordenadora diocesana da diocese de Lages. Na mesma reunião são apresentadas e discutidas questões de interesse do grupo. Acontecem visitas mensal aos idosos já cadastrados. Os idosos que não podem participar, ativamente, das atividades da comunidade recebem a visita do Sacerdote. O ministro extraordinário, frequentemente, leva a Eucaristia para os idosos que desejam recebê-la.

Pascom

Pastoral da Comunicação

 

A Pascom, nasceu com a Carta Encíclica Miranda Prorsus do Papa Pio XII em 1957 . Com o advento da televisão e do rádio a Igreja pensou em colocar todas as técnicas audiovisuais na "comunicação", tendo em vista a necessidade de uma "educação em massa". Neste sentido, a Igreja enfatiza a necessidade de organismos nacionais para conduzir e prestar assistência às inúmeras obras de educação.

 

O que é Pastoral da Comunicação?


"É a pastoral do ser/estar em comunhão/comunidade. É a pastoral da acolhida e da participação; a pastoral das interrelações humanas, a pastoral da organização solidária e do planejamento democrático do uso de recursos e instrumentos que facilitem o intercâmbio de informações e de manifestações das pessoas no interior da comunidade ou da comunidade para o mundo que a rodeia" (CNBB. Igreja e Comunicação rumo ao novo milênio. Estudos da CNBB 75, nº 244).

 

Ética na Comunicação

"Jesus é o modelo e o paradigma da nossa comunicação. Para aqueles que estiverem comprometidos na comunicação social, quer como responsáveis pelas políticas, como comunicadores profissionais, como receptores, quer em qualquer outra função, a conclusão é óbvia: 'Por isso, abandonai a mentira: cada um diga a verdade ao seu próximo, pois somos membros uns dos outros... Que nenhuma palavra inconveniente saia da vossa boca; ao contrário, se for necessário, dizei uma boa palavra, que seja capaz de edificar e fazer o bem aos que ouvem' (Ef 4, 25.29). O serviço à pessoa humana, a edificação da comunidade humana assente na solidariedade, na justiça e no amor, e o anúncio da verdade acerca da vida humana e da sua derradeira realização em Deus estavam, estão e permanecerão no cerne da ética nos mass media" (Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais. Ética nas comunicações sociais, nº 33) .


Com o Decreto Inter Mirifica, a Igreja compreende a importância dos meios de comunicação social, e observa ainda, que eles podem - se utilizados de forma correta - ajudar a propagar e afirmar o Reino de Deus. Mas observa que eles podem ser contrários aos mandamentos de Deus, convertendo-se em meios que levem o ser humano a sua própria condenação.


A Santa Igreja reconhece que estes instrumentos, retamente utilizados, prestam ajuda valiosa ao gênero humano, posto que contribuem eficazmente para unir e cultivar os espíritos e propagar e afirmar o reino de Deus; sabe também que os homens podem utilizar tais meios contra os mandamentos do Criador e convertê-los em instrumentos da sua própria condenação; mais ainda, sente uma maternal angústia pelos danos que, com o seu mau uso, se têm infligido, com demasiada frequência, à sociedade humana (Decreto Inter Mirifica, nº 2).


Compreendendo a seriedade do assunto e tendo em mente sua missão evangelizadora, a Igreja Católica (...) considera parte da sua missão servir-se dos instrumentos de comunicação social para pregar aos homens a mensagem de salvação e ensinar-lhes o uso reto destes meios

(...) A Igreja, pois, compete o direito natural de usar e de possuir todos os instrumentos desta ordem, enquanto sejam necessários ou úteis para a educação cristã das almas e sua salvação; compete, pois, aos pastores sagrados o dever de instruir e de governar os fiéis de modo que estes, servindo-se dos ditos instrumentos, atendam à sua própria perfeição e salvação, assim como à de todo o gênero humano (Decreto Inter Mirifica, nº 3).


Não somente os pastores da Igreja são responsáveis, mas, "compete principalmente aos leigos penetrar de espírito cristão esta classe de meios, a fim de que respondam à grande esperança do gênero humano e aos desígnios divinos" (Decreto Inter Mirifica, nº 3). Assim, todos os cristãos, homens e mulheres, devem colaborar para o uso correto dos meios de comunicação. Os comunicadores devem ficar atentos para que a informação seja sempre objetivamente verdadeira, preservando sempre a justiça, e a caridade íntegra. De forma honesta e conveniente, deve-se respeitar as leis morais dos homens e "os seus legítimos direitos e dignidade, tanto na obtenção da notícia como na sua divulgação". Portanto, aproveitando-se de forma adequada os cristãos empenhados na pastoral da comunicação, fazem um serviço caritativo construtivo (Decreto Inter Mirifica, nº 5).


Os meios de comunicação influenciam a formação de opinião pública, por isso deve haver certa preocupação em divulgar e formar opinião pública

Visto que a opinião pública exerce hoje um poderoso influxo em todas as ordens da vida social, pública e privada, é necessário que todos os membros da sociedade cumpram os seus deveres de justiça e de caridade também nesta matéria e, portanto, que também, com o auxílio destes meios, se procure formar e divulgar uma reta opinião pública (Decreto Inter Mirifica, nº 8).

GRUPOS E MINISTÉRIOS

Grupo Água Viva

 

Clique e veja a Galeria de Fotos

Conforme registro no primeiro livro de atas da RCC de Curitibanos, um grupo de pessoas fizeram a primeira Experiência de Oração em dezembro de 1975 na cidade de Campos Novos, e no dia 15 de agosto de 1976 um segundo grupo foi a Campos Novos para participar de outra Experiência de Oração, com pregação do Padre Sales.

Animados pelo Espírito Santo ainda em agosto de 1976 nascia em Curitibanos o Grupo de Oração Água Viva, também neste ano de 1976 o grupo de oração realizou uma Vigília de Oração pelas famílias. Em 1977 aconteceu a primeira Experiência de Oração de Curitibanos. Os primeiros servos que trabalharam para o nascimento do grupo foram: Célia Andrade Lemos, Donatília Gomes, Odete Pieczarka, Simão Pieczarka, Doraci Ortiz de Souza, Eli Macedo, Amélia Pereira Ortiz, Hilda Dalsenter, Eliete Dalsenter, Gessy Tagliari, Irmã Anair, Iza Alair Andrade, Clementina Fontana França, Amélia Fogaça e Lídia Olivo.

PROJETOS SOCIAIS

Em breve

Praça da República, nº 40 Centro
CP 170, 89520-000 Curitibanos - SC

(49) 3245-0058 / 3241-1201 / 98826-5316